Memória do Projeto Kalunga

3. Memória do Projeto Kalunga: música popular e construção de identidades entre o Rio de Janeiro e Luanda (1975-1980) Maurício Barros de Castro

O pesquisador vem trabalhando com a memória do Projeto Kalunga. Em 1980, um grupo de 65 pessoas - entre artistas, produtores e técnicos - liderado pelo cantor e compositor Chico Buarque e pelo produtor Fernando Faro, viajou para Angola, país que estava em guerra civil, para realizar shows em três cidades; Luanda, Benguela e Lobito, a convite do então presidente angolano, Agostinho Neto. Esta missão levou a um diálogo musical e político existente entre Brasil e Angola no contexto pós-colonial. A hipótese que se apresenta é que as relações transnacionais estabelecidas em torno do samba e do semba possibilitaram não apenas a construção de identidades nacionais e diaspóricas, mas também um diálogo entre artistas brasileiros e africanos que teve motivações políticas. O Projeto Kalunga seria resultado das travessias atlânticas entre Brasil e Angola que permitiram a formulação da genealogia de suas matrizes musicais, mas que também se consolidaria como fruto de articulações pós-coloniais que resultaram num evento atlântico político-cultural.

 Publicações:

Castro, Maurício Barros de. “História Oral e Cultura Popular”. Oralidades - Revista de História Oral, ano 1, n.1, jan-jun, 2007, pp. 51-57.

 

Copyright © 2017 Arte, Cultura e Poder

facebook_page_plugin