Crise do romance, crise do sujeito. A ficção de Lima Barreto

Crise do romance, crise do sujeito. A ficção de Lima Barreto Carmem Lúcia Negreiros de Figueiredo                 

O projeto pretende compreender a produção romanesca do escritor Afonso Henriques de Lima Barreto (1881-1922) como forma de crise, através do diálogo crítico com a tradição literária, com os elementos característicos do próprio gênero e, ainda, frente aos dilemas da modernidade do início do século XX, entre eles a crise do sujeito burguês, a perda da força épica do narrador e o questionamento sobre a possibilidade, e impasses, do romance moderno. Considera-se, aqui, a perspectiva da crise como possível contradição entre o enunciado do conteúdo e a forma, isto é, o enunciado formal posto em questão pelo conteúdo a partir da reconfiguração das categorias da narrativa, de nova função para o narrador fundado no sujeito instável que deixa o mundo, a linguagem e a si mesmo sob suspeita no contexto de modernização da percepção, intensificação dos deslocamentos espácio-temporais, desintegração da subjetividade, fragmentação da visão e desfamiliarização do espaço urbano. A mirada desse projeto para as primeiras décadas do século XX pode auxiliar na compreensão do romance contemporâneo, oportunizando-lhe uma perspectiva histórica, ao mesmo tempo em que aprofunda a compreensão dos romances do escritor carioca, muito além da vinculação à sua biografia. Serão considerados objeto de estudo todos os romances do escritor.

Copyright © 2017 Arte, Cultura e Poder

facebook_page_plugin